Cupim Subterrâneo

Alguns Fatos
• Os cupins, assim como as baratas, suas parentes, estão na terra desde a época dos dinossauros, ou seja, por mais de 300 milhões de anos.
• Os cupins são insetos sociais pois vivem em colônias onde são divididos em castas com funções diferentes.
• Trabalham 24 horas por dia, sem parar.
• Ao contrario das formigas, se a rainha morre, o cupinzeiro não acaba, pois logo surge uma rainha de substituição.
• Cientistas calcularam que o peso de todos os cupins do mundo é maior que o peso de todos os seres humanos.
• Se calcula também que os cupins causam mais de 10 bilhões de dólares em danos em residências e prédios ao redor do mundo.

Informações Gerais
Os cupins subterrâneos formam colônias com milhões de indivíduos entre Rei, Rainha, Ninfas, Operários, Soldados e Reprodutores Alados. Normalmente, os cupins subterrâneos invadem as construções, vindos de áreas externas onde nidificam em árvores, arbustos e no solo de jardins. No interior dos imóveis podem estabelecer sub-colônias independentes das colônias externas. Nas construções procuram locais úmidos para essas colônias e daí saem em busca de madeiras, papelões, papéis, tecidos ou qualquer material que contenha celulose, o seu alimento básico.

Tamanho: 6 a 9 mm
Formato: Longo e fino
Cor: Branco leitoso
Pernas: 6
Asas: Sim (só os reprodutores)
Antenas: Sim

Taxonomia
Nome Comum: Cupim Subterrâneo
Reino: Animal
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Isoptera
Família: Rhinotermitidae
Gênero/Espécie: Coptotermes gestroi

Dieta
Celulose contida em madeira, restos vegetais, papelão, papel, tecidos naturais, etc.

Habitat
Locais úmidos no solo, árvores, arbustos, paredes, entrelajes, etc.

Os operários representam a maioria dos indivíduos de uma colônia. Eles são os responsáveis pela alimentação das outras castas e pela limpeza da colônia. Os cupins operários ingerem a celulose e a transformam em alimentos energéticos que são transferidos aos outros, boca a boca. Os operários são os responsáveis pela limpeza e higienização dos outros indivíduos. Como não param de trabalhar, estão constantemente limpando uns aos outros. Este hábito é conhecido como “grooming”.

Impacto
Grande impacto econômico pela destruição de nossos imóveis. Não transmite doenças ou danos diretos aos seres humanos.
No ambiente natural são extremamente importantes, pois são os maiores responsáveis pela reciclagem natural de nossas florestas.

Prevenção
Nas áreas externas, drene bem os solos ao redor dos imóveis, evite acúmulo de madeiras, remova galhos secos e troncos de árvores mortas.

Na época de revoadas apague as luzes ou feche as janelas para impedir a invasão dos reprodutores alados pois eles são atraídos pelas luzes.

Na construção, utilize madeiras mais resistentes como Peroba do Campo, Peroba Rosa, Jacarandá, Pau Ferro, Gonçalo Alves, Sucupira, Massaranduba, Ipé, etc.

Inspecione com freqüência locais de guarda de caixas de papelão, móveis e armários de madeira, livros, telas, pisos, rodapés, guarnições, etc.

Medidas de Controle
Inspecione o madeiramento atacado para determinar a espécie de cupim infestante. Se a peça atacada apresenta, quando aberta, a presença de soldados que soltam um líquido branco e viscoso pela cabeça, quando tocados, trata-se de um ataque por cupins subterrâneos. Essa espécie costuma fazer túneis de terra apoiados em paredes até encontrar madeira.
As peças atacadas têm o interior sujo e com resíduos de solo. Os cupins subterrâneos não produzem o “pó de cupim” que na verdade são grânulos fecais e que periodicamente são expelidos das peças de madeira atacadas pelos “cupins de madeira seca”. As fezes dos cupins subterrâneos são utilizadas para pavimentar os seus caminhos e na construção dos túneis exploratórios.

Normalmente a colônia de cupins subterrâneos é muito grande, podendo ser formada por milhões de indivíduos e pode estar localizada em um espaço entre lajes, paredes de tijolos vazados, espaços abaixo ou atrás de armários, entretanto, sempre em locais associados à altos teores de umidade.

O tratamento somente da madeira atacada não resolve o problema, é importante eliminar a colônia.