Morcego

Alguns Fatos
• No Brasil, em ambientes urbanos, existem aproximadamente 65 espécies de morcegos.
• O morcego é um animal mamífero que nutre o seu filhote através do leite secretado pelas glândulas mamárias.
• O nome da classe “Chiroptera” origina-se de “chiro” = mão e “ptero” = asa, isso é; animais com mãos transformadas em asas.
• São os únicos mamíferos com capacidade real de vôo, propiciada pela membrana que une quatro dos cinco dedos do membro anterior formando uma asa.
• Apresentam hábitos crepusculares e algumas espécies orientam o vôo pela “ecolocalização”, emitindo sons de alta freqüência, inaudíveis aos seres humanos, que ao esbarrarem em algum objeto, retornam em forma de eco.
• Os morcegos urbanos podem ser classificados pelos hábitos alimentares, em sete tipos principais:
– Frugíveros: se alimentam de frutas e eventualmente de insetos.
– Insetívoros: se alimentam de insetos e eventualmente de frutas.
– Nectívoros: se alimentam de néctar e eventualmente do líquido açucarado dos bebedouros de beija-flor.
– Piscívoros: se alimentam de pequenos peixes.
– Carnívoros: se alimentam de pequenos roedores, batráquios e etc.
– Hematófagos: se alimentam do sangue de mamíferos e aves ( vampiros ).
– Onívoros: se alimentam insetos, frutas, plantas, carnes e etc.

Informações Gerais
Os morcegos se adaptaram em nossas cidades pela abundância de fontes de alimentos e abrigos.
O refúgio nos forros e telhados causa vários problemas, como: acúmulo de fezes, contaminação de água, afecções respiratórias, cheiro desagradável, ruído constante e medo.
Os morcegos mais comuns nos centros urbanos são conhecidos como “morcego das frutas”.

Taxonomia
Nome Comum: Morcego das Frutas
Reino: Animal
Filo: Chordata.
Classe: Mammalia
Ordem: Chiroptera
Gênero/Espécie: Artibeus Lituratus

Dieta
O morcego das frutas como o próprio nome já diz, tem como dieta principal as frutas de figueiras, amendoeiras, bananeiras e etc. Esporadicamente entram em nossas casas atraídos pelo cheiro de bananas, mangas e outros frutos deixados em nossas cozinhas e copas de forma desprotegida. É essa espécie de morcegos que produz manchas avermelhadas nas paredes externas de prédios e residências com amendoeiras nas proximidades. Essas manchas são provocadas pelas fezes liquefeitas produzidas pelos morcegos após ingerirem a polpa de amêndoas ( Terminália cattapa – Amendoeira ) e lançadas em pleno vôo.

Habitat
Entre os morcegos insetívoros o mais comum é o “Molossus molossus” também conhecido como “morcego cauda de rato”. São os mais freqüentes em nossos telhados e sótãos. Os morcegos insetívoros e frugíveros gostam de temperaturas altas e os hematófagos gostam de temperaturas mais baixas, por isso são encontradas em grutas e cavernas.

Impacto
Os morcegos trazem mais benefícios do que malefícios aos seres humanos. Eles são responsáveis pelo plantio e polinização de inúmeras árvores e plantas, e também pela eliminação de grande quantidade de insetos nocivos, como mosquitos e cupins. Eventualmente podem transmitir “raiva” ao homem e animais domésticos. Por isso é desaconselhável tocar os morcegos com as mãos nuas, pois eles podem se defender mordendo. Mordidas de morcegos devem ser lavadas imediatamente com água e sabão. Aconselhamos procurar orientação médica quando tomar vacina anti-rábica. A inalação do pó de fezes secas de morcegos pode transmitir a Histoplasmose, uma séria infecção fúngica pulmonar.

Prevenção
A forma mais eficiente de se evitar a presença de morcegos em sótãos e telhados é a vedação dos locais de acesso.
Não se esqueça de vistoriar periodicamente esses locais e verificar se não existem telhas soltas ou quebradas. Para não atrair morcegos Frugíveros para copas e cozinhas, manter as frutas dentro da geladeira ou bem cobertas. Para evitar a presença de morcegos Nectívoros em varandas, recolha ao entardecer os bebedouros de beija-flor. Nos telhados e forros, para afastar morcegos instale lâmpadas fortes ligadas até os morcegos abandonarem o local. Nota: os aparelhos de ultra som ou ondas eletromagnéticas não tem comprovação científica de que sejam eficazes.

Medidas de Controle
Pela Lei Federal nº 9.605 de 12/02/98, os morcegos por pertencerem à fauna Brasileira não podem ser mortos, capturados ou feridos. A melhor forma de se evitar morcegos em telhados ou forros é com certeza o afastamento e posterior vedação dos locais de entrada. O afastamento pode ser pode ser conseguido com a utilização de repelente gustativo e olfativo e repelente olfativo associado ao uso de luzes fortes. O repelente gustativo e olfativo deve ser diluído em água e aplicado por pulverizador em todo o madeiramento estrutural do telhado. Os morcegos ao tentarem se agarrar nas madeiras tratadas, se encostam uns nos outros e se lambem sentindo o gosto extremamente amargo do repelente e abandonam o local. O repelente olfativo é um granulado que exala um odor agradavél para nós, entretanto, desagradável para os morcegos.
O granulado deve ser colocado em envelopes de tecido e amarrados perto dos locais de abrigo dos morcegos. Lembramos que os telhados devem ser limpos com a remoção das fezes dos morcegos.

Antes da limpeza, as fezes devem ser pulverizadas com um produto Bactericida – Viricida – Fungicida diluído em água, para evitar contaminação. Os produtos Repelente Gustativo e Olfativo e Bactericida – Viricida – Fungicida podem ser aplicados por pulverizador ou nebulizador elétrico.

Para vedação dos telhados, caso os morcegos estejam entrando pelos espaços entre os telhados e a primeira ripa ou testeira, aconselhamos a vedação com grades de vedação. As grades de vedação são peças plásticas que impedem a entrada de pássaros, morcegos e grandes insetos, mas permitem a ventilação sob a cobertura.